A Infraestrutura Nacional de Dados Abertos – INDA conta com um conjunto de ferramentas colaborativas para que qualquer cidadão interessado possa participar e contribuir para o desenvolvimento dos dados abertos governamentais no Brasil. A seguir, são listadas as ferramentas que têm sido utilizadas no processo.

Necessidade Tipo de Ferramenta Nome da ferramenta
1. Comunicação audiovisual remota Streaming de audio e video Skype e Assiste SERPRO
2. Comunicação textual remota assíncrona Listas de discussão por e-mail Google Groups
3. Documentação colaborativa e assíncrona do projeto Wiki ScrewTurn Wiki
4. Edição colaborativa e simultânea de documentos Edição de documentos na nuvem Notas e Google Docs
5. Comentários e marcação de documentos Marcador e anotador na nuvem Annotator
6. Comunicação textual síncrona Bate-papo / mensagem instantânea IRC Freenode #dadosgovbr
7. Divisão e gestão de tarefas Ferramenta de tíquetes TRAC
8. Meio de difusão de notícias Microblog Twitter e identi.ca
9. Versionamento de código e documentos texto Controle de versões Mercurial, Rhodecode, Git e Github

1. Nesse quesito havia a necessidade de se comunicar com um grande número de colaboradores remotamente. Muitos os colaboradores da INDA são de São Paulo e Rio de Janeiro e para tornar as reuniões mais abertas, foi utilizado o ambiente de Streaming. Em primeiro lugar foi utilizado o Assiste SERPRO para grandes eventos no Ministério do Planejamento. Mas para situações onde era exigida maior mobilidade, começamos a utilizar web cams e ferramentas gratuitas de transmissão e Skype.

2. Para Interlocução persistente com os colaboradores da INDA, foi decidido utilizar uma lista gratuita e livre da web. O Google Groups tem uma vantagem que é poder comunicar, mas a persistência dessa comunicação é outro ponto extremamente importante. Um novo colaborador, por exemplo, tem a possibilidade de navegar entre as mensagens já trocadas para entender de que se trata determinado assunto.

3. A documentação do projeto é, pelo seu porte, extensa. Pela sua complexidade, era necessário contar com a ajuda de vários colaboradores interessados. Pelo seu dinamismo, era necessário agilidade e disponibilidade na web, para que qualquer um pudesse consultar e editar o conteúdo a partir de qualquer lugar. As edições teriam que ser feitas no momento oportuno, e não necessariamente as contribuições seriam simultâneas. Isso nos levou a usar uma ferramenta de wiki para documentar o projeto.

4. Uma das principais necessidades da INDA é a edição de documentos de forma colaborativa, síncrona e assíncrona. Esses documentos variam de planejamentos até guias e manuais. Muitos dos manuais produzidos foram feitos dessa maneira, que mostrou-se, ao contrário de expectativas iniciais, seguras e robustas.

5. Além da edição colaborativa de documentos, também foi necessário utilizar de uma ferramenta para revisão, anotação e críticas de documentos para receber importantes feedbacks dos colaboradores da INDA e dos cidadãos que estavam acompanhando seu desenvolvimento. Para esses casos optou-se por utilizar o Annotator pela agilidade oferecida para se incluir comentários em trechos de texto.

6. Em alguns momentos, foi necessário reunir uma certa quantidade de pessoas interessadas em colaborar com um projeto, em uma determinada reunião ou evento. Muitas dessas pessoas estavam localizadas em cidades distantes e não dispunham de meios ou não podiam viajar para participar presencialmente. Nesse sentido, o acompanhamento remoto, por streaming de vídeo e a interação por bate-papo se mostrou uma solução eficaz para promover a participação dessas pessoas, embora não seja um substituto à participação presencial. Para o bate-papo, utilizamos como ferramenta o Internet Relay Chat – IRC, na qual foi criado um canal onde as pessoas podem interagir. O canal de IRC é utilizado somente durante os eventos e encontros presenciais da INDA.

7. Ao longo do desenvolvimento das entregas da INDA houveram momentos de desenvolvimento de muitas tarefas simultaneamente e tornou-se desafiador dividir essas tarefas entre os colaboradores interessados em implementá-las. A utilização do TRAC trouxe maior agilidade nessa divisão e no seu gerenciamento, tanto para os colaboradores quanto para os coordenadores dos grupos de trabalho da INDA.

8. A premissa de participação e interação com a sociedade civil faz necessária a presença em redes de microblogs. As novidades relevantes ao tema são disseminadas rapidamente por esse canal, assim como é recebido o feedback. O meio também tem o potencial de proporcionar um networking de forma a trazer novos parceiros às iniciativas da INDA. Foram utilizadas as redes de microblogs Twitter e Identi.ca.

9. O versionamento de código é essencial em qualquer desenvolvimento colaborativo de solução em software livre. Não foi diferente em relação ao desenvolvimento do Portal Brasileiro de Dados Abertos. As tarefas eram divididas entre grupos de pessoas que obtinham progresso de forma independente uns dos outros, por isso era importante que o sistema de controle de versões fosse distribuído. Como muitos dos participantes trabalham em órgãos públicos onde o acesso à internet é restrito por regras de firewall, era necessário que as informações de atualizações de versão passassem facilmente pelas redes corporativas. Por esse motivo, foi escolhido o Mercurial Mercurial como sistema de controle de versões distribuído. Era também necessário ter um repositório central facilmente acessível a partir de qualquer lugar. Para isso, usamos o Rhodecode.

Percebemos que um sistema de controle de versões seria útil não apenas para controlar versões de código, como também de documentos. Para potencializar um maior número de contribuições em documentos nos quais precisávamos consultar pessoas da sociedade civil, usamos o Git e Github, por ser a plataforma com o maior número de usuários ativos voltada à colaboração em software livre, mas que também é útil para textos.