Estão abertas as inscrições para o evento “Dados Abertos: Nova Cultura de Transparência”, que será realizado em 27 de abril, no auditório da Fiocruz, em Brasília. O objetivo do seminário é compartilhar conhecimentos e experiências da nova realidade que está sendo construída por meio da abertura de dados.

Os interessados em participar devem confirmar sua participação até 26 de abril, acessando o portal do evento, onde também está disponível a programação completa

“A abertura de dados só será efetiva com um intenso uso das informações disponibilizadas nesse formato, que incentivam o surgimento de novos serviços públicos”, afirma Marcelo Pagotti, secretário de Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP). “Eventos como este são fundamentais para construirmos junto com a sociedade um governo mais aberto e transparente”.

Os dados são abertos quando disponibilizados em formato que pode ser tratado por pessoas e máquinas. Entre os destaques do evento está a mesa redonda “O uso de dados abertos para gerar negócios e/ou benefícios à sociedade”.

O debate contará com a participação de representantes da Operação Serenata de Amor, que demonstra o uso da inteligência artificial para o controle social no âmbito da Câmara dos Deputados; do economista e pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Rodrigo Orair; e da equipe da startup MAVIP, que propõe uma plataforma com um sistema simplificado e transparente de busca e registro de marcas utilizando dados abertos.

A Política Brasileira de Dados Abertos foi instituída pelo Decreto nº 8.777, de maio de 2016. Atualmente, o Portal Brasileiro de Dados Abertos (dados.gov.br) conta com mais de 2.000 conjuntos de dados disponíveis para uso e reúso pela sociedade. Qualquer cidadão pode livremente usá-los, reutilizá-los e redistribuí-los, estando sujeito, no máximo, à exigência de creditar a sua autoria.

O evento é uma parceria do MP com o Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União, Open Knowledge Brasil e Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas.

Fonte: Ministério do Planejamento.