Data de publicação
06/02/2018 18:31
Banco Central é atualmente o órgão público que mais disponibilizou bases de dados para o Portal de Dados Abertos nacional: são cerca de 3 mil conjuntos de informações com indicadores financeiros, monetários, fiscais e de inclusão financeira.

Pessoa acessando o Portal de Dados Abertos do Banco Central em um tablet

Informações sobre níveis de escolaridade de cada faixa etária, sobre as áreas urbanas mais ou menos povoadas, sobre as doenças mais comuns em cada época do ano ou sobre as transações financeiras realizadas no país. Os governos possuem e gerenciam um amplo conjunto de dados que podem ser usados para incrementar a qualidade de vida dos cidadãos. Mas como estimular o proveito desses bancos de dados? Uma equipe de servidores do Banco Central (BC) participou de painel na 11º edição da Campus Party Brasil, realizada em São Paulo no dia 31 de janeiro, para apresentar o Portal de Dados Abertos da instituição e falar sobre a importância e as oportunidades da exploração de informações que são de domínio público. Veja a apresentação.

“Quando trabalhadas em parceria com a sociedade, as informações retornam para os órgãos públicos mais qualificadas, mais robustas e mais integradas. Queremos promover um ecossistema de utilização de dados abertos. É fundamental que os desenvolvedores da área de tecnologia se engajem nesse processo e comecem a produzir serviços e aplicativos com dados disponibilizados pelo governo. As informações mantidas pelo Banco Central têm um potencial inestimável, mas na prática a sociedade não tem conseguido chegar aos dados governamentais. Isso é um problema não apenas no Brasil, mas em todo o mundo”, afirmou a chefe do Escritório de Governança da Informação do BC, Gabriela Ruberg. Clique para ver o vídeo.

Portal nacional

O BC é atualmente o órgão público que mais disponibilizou bases de dados para o Portal de Dados Abertos nacional: são cerca de 3 mil conjuntos de informações com indicadores financeiros, monetários, fiscais, administrativos e que detalham a inclusão financeira no Brasil. Ainda neste ano, o BC vai promover um concurso de aplicativos com foco em promover a cidadania financeira.

Conforme explicou Gabriela, o BC aderiu à Política de Dados Abertos do Poder Executivo federal e tem realizado um trabalho para colocar em formato aberto as bases de dados públicas sob responsabilidade da instituição. O feedback da sociedade é essencial para aperfeiçoar a utilização das informações disponibilizadas. “Nós precisamos saber quais são as bases de dados mais relevantes para o cidadão e estamos incentivando as pessoas a pensar em novas formas de processar essas informações. É fundamental que esses desenvolvedores, que nós chamamos de hackers cívicos, não se limitem aos dados do BC: eles podem ser cruzados com dados de outros órgãos públicos ou mesmo de fontes não governamentais. É assim que as informações ganham mais valor”, defendeu Gabriela.

Segundo o ouvidor do BC, Aloisio Tupinambá, essa iniciativa faz parte do trabalho de divulgação das bases de dados de interesse público previstas na Política de Dados Abertos coordenada pela Ouvidoria. “Nessa linha, estamos planejando a realização ainda neste ano de concurso de aplicativos usando nossas bases abertas”, afirmou.

Fonte: Banco Central do Brasil